Skip to:

FacebookTwitterFlickrYoutubeFeed RSS

  • Aumentar
  • Diminuir
  • Normal

Current Size: 100%

21/08/2014 - 15:33 - Atualizado em 25/08/2014 - 17:53
Nova modalidade de transporte público é pesquisada por professores da UFU
Uberlândia é o foco do projeto
por Autor: 
Jussara Coelho

 

No dia 20 de agosto, quarta-feira, às 19h15, aconteceu, na sala de reuniões da reitoria, a apresentação do Estudo de Viabilidade Técnica do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) na cidade de Uberlândia.

As pesquisas foram possibilitadas pela emenda apresentada à Câmara que destinou o recurso de 500 mil reais para a UFU realizar o estudo com um comitê formado por professores e alunos de graduação e pós-graduação das áreas de Geografia, Biologia, Economia, Administração, Arquitetura e Urbanismo e Engenharias Civil e Elétrica. Segundo o estudo, foram definidas duas linhas de circulação para o VLT. A Linha Lilás ligará o bairro Fundinho, passando pelo Centro e indo até o bairro Umuarama 2 com percurso de 6,92 quilômetros, 23 estações e capacidade para transportar 65.000 passageiros ao dia. Na Linha Lilás os trens circularão ocupando uma faixa da Avenida Afonso Pena e outra faixa da Avenida Floriano Peixoto. Já a Linha Verde, o VLT partirá do bairro Daniel Fonseca, iniciando na altura da Avenida Getúlio Vargas, seguindo pelas Avenidas Rondon Pacheco e Anselmo Alves dos Santos com parada final no Aeroporto de Uberlândia. Essa linha terá 17,5 quilômetros e 19 estações com previsão para atender uma demanda diária de 15.400 passageiros.

Marlene Colesanti, professora do Instituto de Geografia da UFU e coordenadora do projeto, esclarece que este tipo de transporte é mais viável no momento por ser mais barato que o metrô. “Começamos o estudo a partir da portaria de janeiro de 2013, que nos permitiu iniciar as pesquisas. Vamos mostrar que é possível sim ter um VLT aqui na nossa cidade por meio do estudo realizado”, afirma a professora. Segundo ela, uma das propostas que constam no projeto é o bilhete temporal. “Aquele em que você desce da estação, vai fazer o que precisa ali, em 20 minutos ou meia hora volta, para pegar o trem, utilizando a mesma passagem”, informa a docente. “Outra vantagem é que estamos fazendo o estudo pensando nos novos corredores de ônibus que serão implantados na cidade. Com a passagem temporal, o usuário desce a 100 metros de um ponto ou estação e pode passar para outro meio de transporte público que esteja próximo ao seu”, completa a pesquisadora.

O reitor da UFU, Elmiro Resende, acrescentou que o VLT leva Uberlândia para o futuro e que  este planejamento se faz para uma cidade projetada para daqui uns 20 ou 30 anos. “Este é um emprego do recurso público com transparência e apresentando o resultado final”, ressalta Resende. Ele avisa que haverá uma audiência publica, no mês de outubro. “Assim que estiver tudo pronto faremos uma grande conversa, prevista para o dia 30 de outubro, em que chamaremos toda a comunidade uberlandense para pensar o projeto conosco, participar do planejamento”, finaliza.

Após o término do estudo, que será no mês de março de 2015, este será entregue à Prefeitura Municipal de Uberlândia, que posteriormente deverá incluir o VLT no Plano de Mobilidade e no Plano Diretor do Município por meio da aprovação de lei pela Câmara Municipal de Vereadores.

Clique aqui e veja a galeria de fotos.

 

 

Av. João Naves de Ávila, 2121 - Campus Santa Mônica - Uberlândia - MG - CEP 38400-902

+55 34 3239-4411 | +55 34 3218-2111

© 2019. Universidade Federal de Uberlândia. Desenvolvido por CTI, com tecnologia Drupal